Longas filas na primeira visita após rebelião


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/01/2012 às 21:24
Leitura:
Do JC Online O primeiro dia de visita no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), após a rebelião da última terça-feira (10), que deixou três internos mortos, foi marcado por filas e longa espera dos familiares. Apesar da intensão movimentação na unidade, localizado no Cabo de Santo Agostinho, Grande Recife, não houve registro de tumulto. Segundo a Funase, mais de 600 pessoas compareceram ao local. A visita foi acompanhada pela nova diretora do Case do Cabo, a assistente social Maria José Delgado. Ela assumiu o cargo no lugar de Maria Suzete Lúcio, exonerada na última sexta-feira (13) pelo governo do Estado. A assessoria de imprensa da instituição informou que a lentidão no acesso ocorreu devido ao grande número de parentes que foram até a unidade. A Delegacia de Crimes contra a Administração e o Serviço Público está apurando o envolvimento de servidores da Funase no tráfico de drogas na unidade do Cabo. Duas sindicâncias também serão instaladas na Funase. Uma para investigar as causas da rebelião  e a outra para apurar, do ponto de vista administrativo, as denúncias contra os agentes de desenvolvimento social.

Mais Lidas