Foliões se despedem do Carnaval no Munguzá do Zuza e Bacalhau do Batata

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/02/2012 às 14:33
Leitura:
A quarta-feira de cinzas em Olinda amanheceu com cheirinho de munguzá. É que o fim do Carnaval aqui no sítio histórico também é celebrado, mesmo que a festa já tenha deixado saudades. O tradicional Munguzá do seu Zuza e Thaís, bloco que se concentra na Sé, começou a distribuir o quitute às 5h para os foliões que chegavam e os que estavam indo para casa. Enquanto os caldeirões de munguzá acabavam, aconteceu a corrida dos Monstros, onde as pessoas bebiam uma dose de cana e deviam apostar corrida subindo a ladeira da Sé.  O vencedor e a vencedora ganharam 100 reais cada um, uma disputa engraçada para quem assistia nos arredores. Até as 9h, o Munguzá estava nas ruas em frente à Igreja da Sé. Pouco tempo depois, Zuza recebeu Fátima Araújo, presidente do bloco Bacalhau do Batata. A agremiação foi fundada de 1962 por Isaías Pereira da Silva, com o objetivo de promover a festa para os foliões quer tiveram de trabalhar durante a semana de Momo. Em 2012, o Bacalhau do Batata faz 50 anos. Zuza Miranda e Fátima Araújo fizeram a troca simbólica de camisas dos dois blocos. Zuza afirma que, assim, passa o bastão para Fátima animar a manhã de quarta-feira e representa também a parceria de sucesso entre os dois grupos carnavalescos que se encontram todo fim de carnaval. Veja abaixo um vídeo do momento em que acontece a troca simbólica das camisas. O Bacalhau do Batata trouxe ainda mais gente que acordou cedo na quarta-feira ingrata. Por volta das 10h, horário em que eles estavam programados para desfilar, o bloco já reunia um grupo muito grande de pessoas na Igreja da Sé. Mais gente se juntou ao bloco durante o percurso. No entanto, o resto da cidade alta estava realmente vazia se comparada com os outros dias de Carnaval. O repórter Ravi Soares fala um pouco sobre o Bacalhau do Batata e conversa com foliões:

Mais Lidas