Familiares e amigos prestam últimas homenagens a bispo e esposa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/02/2012 às 8:13
Leitura:
Do Redator de Plantão da Rádio Jornal Atualizada às 17h50 Os corpos de Robinson Cavalcanti e Miriam Cotias Cavalcanti, que foram mortos a facadas no interior da residência, nos Bultrins, em Olinda, no último domingo (26), estão sendo velados na paróquia anglicana, na Rua São Miguel no Bairro Novo, em Olinda. O repórter Ravi Soares esteve na paróquia anglicana Emanuel no início da manhã e registrou o movimento de visitantes na cerimônia: Às 14h será realizado um culto em memória do religioso assassinado de forma brutal. E um grupo de amigos irá homenagear a mulher do bispo, Miriam Cotias Cavalcanti, com camisas azuis e a foto dela. O sepultamento estava marcado para as 16h30 no Cemitério Morada da Paz, em Paulista. O repórter Erick França esteve no local. Ouça a reportagem: O acusado do duplo homícidio é Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti, de 29 anos, que continua internado no Hospital da Restauração, após ter tentado se matar em seguida ao assassinato. O bispo da Igreja Anglicana não se limitava às atividades religiosas, já que era formado em direito e participou de campanhas políticas. Evilázio Tenório, bispo que presidiu o culto da noite dessa terça-feira (28) na igreja, ressalta o legado deixado pelo bispo Robinson Cavalcanti: O filho adotivo do bispo, Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti, de 29 anos, continua sob custódia no Hospital da Restauração. De acordo com os médicos, ele não respira com a     ajuda de aparelhos, mas permanece desacordado. O delegado José do Prado, responsável pelo inquérito informa que os vizinhos do casal vão depor ainda nesta quarta-feira. Uma irmã do religioso da igreja anglicana, que está vindo dos Estados Unidos, será convocada para prestar esclarecimentos. No território americano, Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti fazia parte de uma gangue de imigrantes, conhecida como Mara Salvatrucha. No dia do crime, a polícia encontrou vestígios do consumo de drogas no quarto do acusado, que tem várias passagens na polícia norte americana. O gestor do DHPP, Luiz Kerle, ressalta que as causas do duplo homicídio são os desafios enfrentados pela polícia. Também nesta quarta-feira, às 11h, será sepultado no Cemitério de Santo Amaro o corpo de Jorge Antônio Romão Filho, de 29 anos. Ele foi morto com um tiro no peito disparado por um policial militar do 16º batalhão nas imediações de um Posto de Policiamento Ostensivo em Santo Amaro. De acordo com familiares, o rapaz tinha problemas mentais, mas não apresentava agressividade. A PM diz que durante a abordagem ao jovem, o soldado tropeçou e a arma disparou acidentalmente.

Mais Lidas