Família da paciente com suspeita de "Vaca Louca" autoriza exames

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/03/2012 às 13:00
Leitura:
Do Redator de Plantão, da Rádio Jornal A senhora de 54 anos que está internada no hospital do Tricentenário, em Olinda, vai passar por exames. O protocolo do Ministério da Saúde consiste em investigação familiar, assistência aos profissionais e realização de exames. Os exames específicos devem diagnosticar se ela é portadora do mal que pode ser transmitido pela ingestão de carne bovina contamiada. Antes de aceitar os procedimentos, os parentes da paciente queriam levá-la para casa, apesar da gravidade do estado de saúde. A paciente não tem históricos de consumo de carne importada nem de viagens ao exterior, onde já foram registrados casos da doença. Demência, confusão mental, irritação e tremor nos membros são alguns dos sintomas do "Mal da Vaca Louca". A gerente de agravos agudos da Secretaria Estadual de Saúde, Nara Melo, diz que a população não deve ficar em alerta: A promotora de Justiça de Olinda, Helena Capela Gomes, expediu uma recomendação ao diretor do hospital para que os exames fossem realizados. Segundo a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária, não há tratamento efetivo para a doença. Em caso de morte, os familiares não podem ter acesso ao corpo do parente que deve ser, por recomendação do Ministério da Saúde, cremado. A promotora Helena Capela Gomes explica o porquê de o Ministério Público intervir no caso desta paciente:

Mais Lidas