Menina de cinco anos ajuda polícia a desvendar assassinato de duas mulheres em Garanhuns

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 12/04/2012 às 7:16
Leitura:
Do Redator de Plantão A criança morava na residência com os três acusados presos, nesta quarta-feira (11), no bairro de Jardim Petropólis. Gisele Helena Silva, conhecida como geise de trinta e um anos, foi vista pela última vez em vinte e cinco de fevereiro. Alexandra da Silva Falcão, 25 anos, saiu de casa no dia 12 de março em busca de trabalho e nunca mais voltou. A polícia apurou que o cartão de crédito de uma das vítimas estava sendo utilizado pelos suspeitos. Isabel Cristina Pires, de 50 anos, confessou o crime e alegou ouvir vozes pedindo para matar as pessoas. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 50, também é paciente do Centro de Apoio Psicossocial de Garanhuns, Agreste do Estado. A terceira envolvida é a mulher dele, a dona de casa Jéssica Camila da Silva Pereira, de 22 anos. Os corpos estavam enterrados a curta distância um do outro e próximos à porta da cozinha do imóvel na rua das emboabas. A polícia descobriu que Gisele Helena da Silva e Alexandra da Silva Falcão foram esquartejadas a faca. No imóvel foi apreendido um material impresso por um dos acusados detalhando os homicídios passo a passo. Isabel Cristina Pires, de 50 anos confessa os assassinatos ela tenta justificar o banho de sangue: Os restos mortais retirados do imóvel na quarta (11) já estão na sede do instituto de medicina legal do Recife para identificação. Diante do cenário encontrado, o trio se preparava para em breve cometer o terceiro assassinato. A polícia descobriu ainda que Jorge Beltrão Negromonte da Silveira é acusado de homícidio em Olinda. Revoltados, populares ameaçaram linchar os três acusados durante a permanência na Delegacia de Garanhuns. Como medida preventiva, as duas mulheres e o homem foram encaminhados para unidades prisionais de segurança máxima. O delegado Wesley Fernandes Oliveira, responsável pelas investigações detalha a apuração:

Mais Lidas