Polícia retoma escavações para localizar mais corpos de vítimas do trio "canibal", em Garanhuns


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/04/2012 às 8:07
Leitura:
Do Redator de Plantão

A polícia deve retomar, nesta sexta-feira (20), as escavações na casa do trio de canibais, no bairro de Jardim Petropólis, em Garanhuns, Agreste pernabucano. O trabalho, iniciado nesta quinta-feira (19), foi suspenso por conta das chuvas intensas no município. As buscas são baseadas nas informações do livro escrito por um dos acusados chamado de Revelações de um Esquizofrênico. A criança teria sido assassinada e enterrada em um dos quartos do imóvel de alvenaria, na Rua das Emboabas. No local, foram localizados os corpos de Giselly Helena da Silva, a Geisa dos Panfletos, e Alexandra da Silva Falcão. Para agilizar o trabalho, uma retroescavadeira deve ser utilizada nesta sexta para revirar o piso. O caso teve ampla repercussão na imprensa, inclusive do exterior, pelas características macabras. As vítimas, todas mulheres, tinham os corpos esquartejados e as partes eram utilizadas, segundo os acusados, como alimento. A menina de cinco anos, encontrada na residência, permanece em um abrigo em Garanhuns, sob proteção da justiça. Exames de DNA vão confirmar se ela é ou não filha de Jéssica Camila Pereira, morta pelo trio em Olinda, em 2008. Como o informe de que os três iriam até a casa na quinta etapa de Rio Doce vazou, a polícia cancelou a operação. Permanecem presos, o professor de educação física Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, de 50 anos, portador de esquizofrênia, a mulher dele, Isabel Cristina Silveira, 51, e a amante do professor, Bruna Cristina Oliveira da Silva, 25. A polícia civil apura a possibilidade de o trio ter cometido, pelo menos, oito homicidios, sendo um deles no Estado da Paraíba (PB). Aluísio Régis, prefeito de Conde (PB) negou qualquer envolvimento com os acusados, embora tenha sido citado em um dos textos apreendidos. A atual moradora da residência em Rio Doce, Olinda, Região Metropolitana do Recife, fala sobre o assunto, mas não quer ser identificada:

Mais Lidas