Apontamentos para um livro de memórias que jamais escreverei, de Jorge Amado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/04/2012 às 12:10
Leitura:
Na Revista Eletrônica desta quarta-feira (25), Sandra Bittencourt conta a história que Jorge Amado, Pablo Neruda e Ilya Ehremburg fizeram um pacto de nunca publicar um livro de memórias. Depois da morte dos dois últimos, no entanto, memórias póstumas foram publicadas - e Jorge Amado começou a esboçar suas próprias no fim da década de 80. Navegação de cabotagem - Apontamentos para um livro de memórias que jamais escreverei, de Jorge Amado, sai este ano em nova edição. Confira:

Mais Lidas