Secretaria de Defesa Social diz que comandante da PM se suicidou por questões financeiras

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/05/2012 às 18:20
Leitura:
Da Rádio Jornal A secretaria de Defesa Social de Pernambuco realizou uma entrevista coletiva no final da tarde desta quinta-feira (10) para esclarecer o suicídio do comandante do 13º batalhão da Polícia Militar, o Tenente Coronel Marinaldo de Lima, e informações extra-oficiais. Eles afirmam que o coronel não participou da reunião de monitoramento do Pacto pela Vida, que ele foi à secretaria à paisana para conversar com um amigo e que estava passando por problemas financeiros, mas não sofria pressão por resultados profissionais. De acordo com as informações da secretaria o comandante entrou no prédio da Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco (Seplag), localizada no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, por volta das 12h40 e o suicídio ocorreu por volta das 13h. Após entrar na Seplag ele teria conversado com um interlocutor e pedido um copo dágua, quando o interlocutor voltou ele estava com a pistola engatinhada e atirou na própria boca. Em entrevista à Rádio Jornal, o secretário de defesa social, Wilson Damázio, disse que a informação de que o policial estava sendo pressionado por resultados profissionais não procede. Segundo ele, a área onde o coronel trabalhava está com bons números no Pacto Pela Vida e tem caído o número de homicídios no local. Damázio também contou que a reunião de monitoramento do Pacto Pela Vida ocorreu somente até às 11h e quando o comandante chegou na Seplag o encontro já havia acabado. Ele diz que de acordo com levantamentos preliminares o comandante estava passando por problemas financeiros. Ouça a entrevista completa na reportagem de Erick França:

Mais Lidas