Metroviários deflagram greve por tempo indeterminado, mas maquinistas prometem trabalhar nos horários de pico

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/05/2012 às 8:18
Leitura:
Do Redator de Plantão Atualizada às 9h49 A paralisação dos metroviários começa, na prática, nesta terça-feira (15), em meio a um impasse entre os trabalhadores. Parte da categoria defende adesão total do movimento, enquanto um grupo se mostra disposto a atuar em horários específicos. Os maquinistas vão garantir a circulação dos trens das 5h às 9h e das 16h as 20h. O Metrô do Recife (Metrorec) informou que fora destes períodos as estações estarão fechadas para os usuários do transporte. Com a greve por tempo indeterminado, 270 mil pessoas terão a rotina alterada a partir desta terça. Os metroviários se queixam do impasse na mesa de negociações com a Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU). O estoquista Deivid José de Oliveira não aprova a paralisação até porque a qualidade do serviço já é ruim nos dias comuns: A repórter Karoline Fernandes, da Rádio JC/ CBN, esteve na Estação Central do Recife e conferiu de perto a movimentação nos primeiros momentos desta paralisação, que não tem prazo para terminar. O presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 6ª região analisou o pedido formulado pelo Metrorec. O desembargador André Genn estabeleceu que os metroviários mantenham 50% do efetivo nos horários de pico. No tempo restante de operação, deve ser disponibilizado no mínimo 30% dos serviços. O sindicato que representa a categoria diz não ter sido notificado sobre a decisão do TRT. Os grevistas voltam a se reunir em assembléia as seis da noite na estação central no metrô no bairro de São José, área central do Recife. Lenival Oliveira, presidente do Sindmetro, diz quais são os itens da pauta de reivindicações deste ano: O Metrorec garante que o metrô vai funcionar das 5h às 9h e das 16h às 20h. Os intervalos entre as viagens serão os mesmos dos dias rotineiros no domingo (20) todas as estações fecham as portas. A linha diesel: Cajueiro Seco Cabo de Santo Agostinho e Cajueiro Seco Curado só volta a operar com o fim da greve. O Grande Recife Consórcio de Transporte coloca em prática na manhã desta terça o esquema emergencial. Quatro linhas terão a frota ampliada, entre as quais Brigadeiro Ivo Borges e Aeroporto Afogados. Duas estão sendo criadas em caráter emergencial: Jaboatão Barro; Joana Bezerra Afogados Barro. Os coletivos que fazem Camaragibe CDU vão ter itinerário extra durante a greve dos metroviários. Taciana Ferreira, gerente de operações do Grande Recife afirma que o esquema vai funcionar:

Mais Lidas