Greve dos metroviários interfere pouco na movimentação de passageiros


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/05/2012 às 8:01
Leitura:
Do Redator de Plantão Atualizada às 11h36 Metroviários ameaçam reduzir horário de funcionamento do metrô a partir desta quinta-feira (15). Nesta quarta (16), as estações de metrô estarão abertas das cinco as nove da manhã e das quatro da tarde as oito da noite. A paralisação por tempo indeterminado começou ontem e não teve a adesão dos maquinistas como em outros protestos. A categoria reivindica melhores salários e condições de trabalho, mas a negociação segue sem avanços. Enquanto isso, cerca 280 mil passageiros do metrô sofrem com as alterações na rotina. Quando os terminais fecham, resta aos usuários utilizar o transporte coletivo que recebeu reforço na frota. No entanto, o número de ônibus não foi suficiente para atender a demanda e vários coletivos saiam das estações superlotados. Mesmo com o esquema alternativo, o zelador Neilton José da Silva diz que o serviço oferecido é ruim: O Metrorec acredita que conseguiu atender a oitenta por cento da demanda no primeiro dia da greve. Os intervalos entre as viagens são os mesmos dos dias rotineiros no domingo todas as estações fecham as portas. As linhas diesel: Cajueiro Seco Cabo de Santo Agostinho e Cajueiro Seco Curado só volta a operar com o fim da paralisação. O técnico de segurança samuel matias utiliza o metrô o passageiro não esconde a insatisfação com os transtornos: Representantes do Sindicato dos Metroviários vão se reunir às 14h desta quarta, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 6ª região. O presidente do TRT, o desembargador André Genn, assinou uma liminar ampliando o horário de funcionamento do metrô. A proposta é metade dos serviços no horário de pico e 30% no restante do expediente. Lenival José de Oliveira, presidente do sindicato que representa a categoria manda um recado para os usuários: Karoline Fernandes, da Rádio JC/ CBN, esteve no local, logo cedo, e trouxe a mivimentação do início do dia, quando os usuários mais precisam do serviço. MAIS PARALISAÇÃO E os servidores da Universidade de Pernambuco (UPE) vão participar nesta quarta de uma paralisação de advertência. Outra categoria a decidir por greve por tempo indeterminado é a dos professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Os servidores da UPE realizaram, na manhã desta quarta (16), uma manifestação em frente ao Hospital Universitário Oswaldo Cruz, bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Karoline Fernandes, da JC/ CBN, também esteve no local, conferindo a movimentação dos manifestantes e dos pacientes.

Mais Lidas