Manhã pós-greve é de muitas pessoas nas ruas aproveitando para resolver pendências


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/07/2012 às 9:28
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada às 10h19

No terminal da integração Joana Bezerra, localizado na área central do Recife, o que a equipe de reportagem da Rádio Jornal registrou, no início desta sexta-feira (06) pós greve, foi que a fluência dos ônibus é normal. O que também foi observado pelo repórter Fábio Mendes foi o grande número de usuários, o que mostra que as pessoas, que não saíram de casa nos dias anteriores - de greve - aproveitam para resolver as pendências. Confira abaixo mais informações: Em mais um dia de greve, passageiros pagaram a conta da queda de braço entre rodoviários e empresas de ônibus. O esquema de transporte adotado pelo Grande Recife Consórcio de Transportes no primeiro dia do protesto se repetiu nesta quinta-feira (05). Em algumas linhas, os usuários tiveram que ter paciência extra para esperar os coletivos e encarar a viagem em veículos lotados. Nos terminais, a falta de educação das pessoas em desrespeitar as filas tornou o problema ainda mais evidente nos horários de pico. Como nem todas paradas de embarque e desembarque são equipadas com assentos, os passageiros foram obrigados a improvisar. No interior dos ônibus que circularam pela Região Metropolitana, o aperto e o calor foram alvo de reclamações principalmente pela manhã. Questionados sobre a greve dos rodoviários, as opiniões dos usuários do sistema são divergentes. Maria da conceição saiu de casa em igarassu e estava aguardando transporte há mais de duas horas no terminal da Joana Bezerra: A greve dos rodoviários complicou a vida dos dois milhões de passageiros desde a noite da terça-feira (03). O atraso no deslocamento repercutiu no comércio e nos shoppings com a queda no movimento dos consumidores. Por outro lado, os taxistas aproveitaram a demanda acumulada neste período sem ônibus nas ruas. A vendedora Maria Helena dos Santos avalia que o clima desta quinta na cidade até que melhorou um pouco: O Tribunal Regional do Trabalho determinou o fim da greve dos rodoviários, desconto dos dias parados e reajuste salarial de 7%. O transporte coletivo voltaou ao normal nesta sexta-feira em toda a Região Metropolitana do Recife. Caso a categoria não acate a decisão, o sindicato que representa os trabalhadores será multado em R$ 20 mil por dia. O dissídio coletivo foi julgado na tarde desta quinta, no Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região. Por unanimidade, os desembargadores consideraram a greve dos rodoviários abusiva ao não cumprir as regras estabelecidas em lei. As 18 empresas de ônibus podem descontar os dias parados de quem deixou de cumprir o expediente. O reajuste salarial ficou definido em sete por cento, bem longe dos trinta pontos percentuais reivindicados no início da mobilização. Fernando Bandeira de Melo, presidente da urbana p-e, sindicato que representa o patronato faz um balanço: Com a decisão da justiça, a partir de 1º de julho, o salário dos motoristas passa para R$ 1.500, fiscais e despachantes R$ 970. Os cobradores ficam com R$ 690. A categoria conseguiu também o aumento no vale alimentação, pasando a ser R$ 160. O resultado da campanha salarial não agradou a toda a categoria e muitos rodoviários defendem a saída do presidente do sindicato. Patrício Magalhães, no comando da entidade de classe desde setenta e nove afirma que o saldo não é negativo:

Mais Lidas