Com mandato cassado, senador Demóstenes Torres fica inelegível até 2027


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/07/2012 às 13:58
Leitura:
Direto de Brasília Atualizado às 14h59 Com 56 votos contra 19 e apenas 5 abstenções o senador Demóstenes Torres, do Estado de Goiás, teve seus direitos políticos cassados no início da tarde desta quarta-feira (11) no plenário do senado. O plenário entendeu que Demóstenes quebrou o decoro parlamentar ao manter relações estreitas com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Apenas 80 senadores estiveram presentes na votação que deixa Demóstenes sem seus direitos políticos até o ano de 2027. Quem assume no lugar dele é o empresário Wilder Morais, que coincidentemente é o ex-marido da atual mulher de Carlinhos Cachoeira, o homem que provocou a queda de Demóstenes. Saiba mais no flash de Romoaldo de Souza, direto de Brasília, na programação da Rádio Jornal. A notícia chegou em meio ao programa O Assunto É Futebol 2º Tempo e quem chama o repórter é Maciel Júnior: E no programa de Graça Araújo, Romoaldo traz outros detalhes dessa novela. Sem partido político, e oposição de Lula em seus dois mandatos e Dilma Roussef, Demóstenes ficou sozinho. Ele até tentou a clemência dos colegas senadores, mas não fio poupado e tornou-se o segundo senador cassado. O primeiro foi Luis Estevão, do Distrito Federal. Ouça na reportagem de Romoaldo a entrevista de Humberto Costa, o acusador de Demóstenes no senado:

Mais Lidas