Policiais civis entram no 3º dia de greve, mesmo com decisão da justiça de retorno imediato

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/07/2012 às 8:53
Do Redator de Plantão Atualizada às 09h46 Mesmo considerada ilegal pela justiça estadual, a greve dos policiais civis chega, nesta quarta-feira (25), ao terceiro dia. De um lado, os agentes reivindicam melhores salários e condições de trabalho. A categoria diz que apenas os serviços essenciais estão sendo mantidos, o que corresponde a 30% das operações. Durante o protesto, os flagrantes estão sendo registrados nas delegacias de plantão de Casa Amarela, Cordeiro, Boa Viagem, Paulista, Prazeres, Olinda, Santo Amaro, Várzea e nas seccionais dos municípios do interior. O Instituto de Identificação Tavares Buril está funcionando parcialmente. Já os Institutos de Medicina Legal e o de Criminalística mantêm a rotina sem alterações. Como os boletins de ocorrência não estão sendo preenchidos, a alternativa é utilizar a Delegacia Interativa na internet. A assembléia, que vai definir os rumos do movimento, está marcada para às 17h, desta quinta-feira (26), na sede do Sinpol, em Santo Amaro, área central do Recife. Por outro lado, o governo do estado informa que está deslocando profissionais para as atividades nas delegacias. O corte no ponto está mantido e outras sanções devem ser aplicadas contra os grevistas nos próximos dias. A Secretaria de Administração esclarece que os policiais civis firmaram um acordo salarial com reajuste real de 47,34% até 2014. Outras informações desta quarta-feria (25), terceiro dia da greve dos policiais civis, com Renato Barros, especial para a Rádio Jornal.