Policiais civis radicalizam greve e reduzem funcionamento das delegacias de plantão

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/07/2012 às 8:34
Do Redator de Plantão Atualziada às 10h03 Desde a zero hora desta sexta-feira (27), o trabalho dos policiais civis ficou restrito às unidades da Várzea, no Recife, Prazeres, em Jaboatão de Guararapes e de Olinda cidades do Grande Recife. As equipes vão se dedicar apenas aos flagrantes de qualquer natureza - sejam iniciados ou em andamento. Os boletins de ocorrência não estão sendo registrados e a alternativa é a delegacia interativa na internet. Isso significa ainda que as diligências, depoimentos e interrogatórios ficam suspensos até o fim do protesto. A decisão de radicalizar foi tomada na assembleia da categoria realizada na noite desta quinta-feira (26), na sede do sindicato, em Santo Amaro, área central do Recife. A greve teve início na manhã desta segunda-feira (23) e no mesmo dia a justiça decretou o movimento ilegal. Cláudio Marinho, presidente do Sindicato dos Policiais Civis afirma que os trabalhadores estão revoltados: Os policiais civis reclamam que estão sendo pressionados pelos superiores a voltar ao trabalho. O sindicato vai entrar com uma denuncia formal contra o gestor do Instituto de Identificação Tavares Buril. A reportagem da Rádio Jornal não conseguiu localizar Jandir Carneiro Leão para falar sobre o assunto. O Sinpol informa que vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça que considera a greve ilegal pois o mérito ainda não foi julgado. O governo do Estado diz que a categoria firmou um acordo com reajustes estabelecidos até 2014. Os dias parados serão descontados e o salário dos grevistas será liberado somente na semana que vem. Na tarde da próxima quarta-feira (1º de agosto), os policiais civis vão sair em caminhada pela Avenida Agamenon Magalhães. Cláudio Marinho, presidente do sindicato que representa a categoria afirma que ninguém vai ficar de braços cruzados: O repórter Fábio Mendes, da Rádio Jornal, esteve na Delegacia de Plantão de Olinda, Região Metropolitana do Recife, conferindo este quinto dia de paralisação da categoria.