Náutico vence nos Aflitos e o Santa perde fora de casa


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/09/2012 às 18:20
Leitura:
Da Rádio Jornal Finalmente, após várias partidas atuando bem, o time alvirrubro consegue traduzir o bom futebol em gols, perdendo até penâlti e sai dos Aflitos com uma importante vitória diante do Galo. Logo aos 15 segundos de jogo, o time alvirrubro mostra para que veio. Rogério recebe um belo lançamento do volante Elicarlos pela direita. O atacante avança e cruza a meia altura para Rhayner perder uma bela chance de abrir o placar. Durante o primeiro tempo, a partida foi de muita velocidade com poucas chances para o time Mineiro e boas chances para o time alvirrubro. As principais estrelas do Galo pouco fizeram na etapa inicial. Pelo lado do Naútico, o torcedor alvirrubro viu um "filme" das partidas passadas. Com 60% de posse de bola, o Náutico não coseguiu traduzir em gols esse domínio sobre o Atlético. No segundo tempo, a equipe mineira equilibrou um pouco a partida, tocando mais a bola buscando o gol do goleiro Gideão. Porém o dia não era do atual vice-líder do campeonato brasileiro. Indo para cima do Atlético,  o timbú abriu o placar numa falta com o volante souza. Após o placar ter sido aberto, o Atlético foi para cima buscando o empate, mas com baixíssima qualidade técnica. E foi aí que o timbu, perdeu a chance de marcar pelo menos mais dois gols. Araújo perdendo um pênalti, e rogério em contra-ataque cara a cara com o arqueiro, chuta em cima do goleiro. Ficha técnica Gol NÁUTICO: Souza, aos 3min do segundo tempo NÁUTICO: Gideão; Alessandro, Alemão, Ronaldo Alves e Douglas Santos; Elicarlos, Josa, Souza (Alison) e Rhayner; Araújo (Dadá) e Rogério Treinador: Alexandre Gallo ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Rafael Marques e Júnior César (Richarlyson); Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho e Danilinho (Escudero); Bernard e Leonardo (Neto Berola) Treinador: Cuca Cartões amarelos NÁUTICO: Douglas Santos ATLÉTICO-MG: Rafael Marques, Júnior César, Marcos Rocha e Victor Cartão vermelho: NÁUTICO: Josa Árbitro Flávio Rodrigues Guerra (SP) Local Estádio dos Aflitos, no Recife (PE) TREZE-PB X SANTA CRUZ Do Blog do Torcedor O técnico Zé Teodoro repetiu os mesmos erros do jogo contra o Salgueiro mas desta vez não foi perdoado. O tricolor terminou o jogo com quatro atacantes e apenas dois jogadores no meio de campo mas foi pobre nas oportunidades de gol e viu o Treze vencer por 2x1. Para piorar, além da derrota os outros resultados complicaram o tricolor, que caiu da terceira para a sétima posição no Grupo A da Série C. A maior surpresa na escalação do Santa Cruz foi a ausência do atacante Fabrício Ceará. O técnico Zé Teodoro escalou Flávio Recife alegando que no 3-5-2 ficaria complicado jogar com dois homens de referência na área. Mas o que faltou aos tricolores nos primeiros minutos foi jogar pelos lados, justamente um dos trunfos desse sistema tático. Tanto Renatinho quando Diogo não se apresentaram. Com isso, as investidas ficaram restritas ao meio, sempre bem marcado. Por isso, a primeira oportunidade criada pelo time pernambucano foi na bola parada. Leandro Oliveira bateu falta buscando o canto direito mas Carlos Luna apareceu para espalmar. Um pouco antes, Júlio Zabotto arriscou sem grandes pretensões. Fred Espalmou mal e a bola chocou-se no travessão antes de sair. Aos poucos, o tricolor foi ganhando mais posse de bola e igualou o jogo. Aos 22, Flávio Recife recebeu de Leandro Oliveira e, ao invés de mandar para o gol, preferiu passar para Dênis Marques. Marcado, foi desarmado. Como era mais ofensivo, o Santa arriscava-se a tomar o contra-ataque. E no minuto seguinte ele levou perigo. Cristian cruzou da direita e Ney Mineiro completou de bico. A bola passou raspando a trave direita. Numa jogada em velocidade, o time da casa saiu na frente. Aos 33, Júlio César entrou pela esquerda e chutou forte. Fred defendeu parcialmente e, no rebote, Assis empurrou para o gol. O Santa acusou o golpe e sua defesa começou a bater cabeça. Entenda-se "bater cabeça" por não acompanhar as descidas dos jogadores do Galo pelo meio de campo. Foi assim que Vavá ampliou aos 45. Ele deslocou-se da esquerda para a direita antes de chutar cruzado, sem chance de defesa para Fred. Mal foi dada a saída para o segundo tempo e o Treze apertou o Santa criando duas grandes oportunidades de ampliar a vitória para 3x0. O tricolor voltou com uma postura mais ofensiva com Luciano Henrique no lugar de Sandro Manoel e, desta vez, o técnico Zé Teodoro se deu bem. Aos oito minutos, Dênis Marques passou para Flávio Recife, que fez o corta-luz. Luciano Henrique chutou forte e a bola ainda bateu na trave antes de ir para o fundo das redes. Era a senha para a reação, mas o que se viu foi o contrário. O técnico tricolor enfraqueceu o meio de campo com a saída de Leandro Oliveira para entrada do atacante Fabrício Ceará. Foi bem parecido com a opção errada do jogo anterior, diante do Salgueiro, no Arruda. Luciano Henrique ficou isolado com a responsabilidade de levar o time à frente e como o Treze recuou para buscar o contra-ataque, pouco podia fazer. Para completar, os alas foram peças ofensivas nulas. Não era desorganização suficiente. O quarto atacante foi acionado para saída de um ala, Diogo. No final das contas, o panorama do Santa Cruz na reta final do jogo era: três zagueiros, um lateral-esquerdo, um volante, um meia e quatro atacantes. Muita gente nas duas extremidades - quatro defensores e quatro ofensivos. E um completo vazio entre eles com apenas dois no meio de campo. Era tudo que o time paraibano queria e precisava. Postado no seu campo apenas viu o Santa acumular um erro em cima do outro até o apito final. Ficha do jogo: Treze-PB: Carlos Luna; Aderlan, Márcio Garcia (Bomfim), Tiago Gasparetto e Assis; Júlio César, Evérton César (Vágner Rosa), Júlio Zabotto e Cristian; Vavá (Brasão) e Ney Mineiro. Técnico: Marcelo Villar. Santa Cruz: Fred; William Alves, Édson Borges e Éverton Sena; Diogo (Paulista), Chicão, Sandro Manoel (Luciano Henrique), Leandro Oliveira (Fabrício Ceará) e Renatinho; Dênis Marques e Flávio Recife. Técnico: Zé Teodoro. Local: Estádio Amigão, em Campina Grande. Árbitro: Manoel Nunes Lupo Garrido (BA). Assistentes: Adson Márcio Lopes Leal e Elicarlos Franco de Oliveira. Gols: Assis, aos 33; e Fred, aos 45 do primeiro. Luciano Henrique, aos oito do segundo. Cartões amarelos: Chicão, Sandro Manoel e Dênis Marques.

Mais Lidas