Mulheres são presas por desvio de verba na merenda da educação estadual


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 17/09/2012 às 16:57
Leitura:
Da Rádio Jornal Estão na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, no Grande Recife, duas mulheres condenadas pelos crimes de peculato e falsidade ideológica, após desviarem cerca de R$ 2.600 milhões da merenda escolar da rede estadual de ensino. As prisões, que ocorreram na última sexta-feira (14), em Casa Amarela, Zona Norte do Recife, foram efetuadas depois de 17 anos que o crime foi descoberto. De acordo com as investigações da polícia, Nadiege Cristina Sobral, de 55 anos, e Zélia Maria Justino Barros, também de 55, adulteravam o preço, a quantidade e o pesos dos produtos na hora de solicitá-los. Elas trabalhavam na diretoria-executiva de apoio ao aluno, da Secretaria de Educação, e desviavam o dinheiro na hora de repassar a verba para as escolas. Das quatro vias que eram necessárias para realizar qualquer solicitação, eles preenchiam três corretamente e efetuavam a fraude na quarta. Em 1995, época em que o crime foi descoberto, cinco pessoas foram indiciadas, mas somente as duas foram presas. Ouça o flash de Éverson Teixeira, da Rádio JC / CBN

Mais Lidas