Menina estuprada e morta no bairro da Mangueira é enterrada no cemitério de Santo Amaro


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/09/2012 às 19:09
Leitura:
Da Rádio Jornal O Instituto de Medicina Legal (IML) deve divulgar, em um prazo máximo de 30 dias, o laudo da perícia que indica se a menina Kéthuly Raíssa dos Santos, de 4 anos, foi violentada sexualmente ou se já estava morta quando houve o abuso. Nesta terça-feira (18), o enterro da criança no cemitério de Santo Amaro, área central do Recife, foi marcado pela comoção de parentes e vizinhos. Durante o sepultamento, a família não quis falar com a imprensa. Na reportagem abaixo, de Éverson Teixeira, da Rádio JC / CBN, ouça a entrevista realizada pelo repórter Fábio Mendes, da Rádio Jornal

Mais Lidas