Saiba como foi o primeiro dia de julgamento do caso da morte de Jennifer Kloker


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/12/2012 às 18:56
Leitura:
Da Rádio Jornal Com informações do NE10 Atrasos e discussões marcaram o primeiro dia do julgamento dos acusados de matar a alemã Jennifer Kloker. O júri, que deveria ter começado às 8h da manhã desta segunda-feira (10), no Fórum de São Lourenço da Mata, no Grande Recife, só foi iniciado às 10h, duas horas após o previsto. Após apresentar os cinco réus presentes Delma Freire de Medeiros, Pablo Richardson Tonelli, Ferdinando Tonelli, Alexsandro Neves dos Santos e Dinarte Dantas de Medeiros, a juíza Marinês Marques Viana informou que o acusado Alexsandro não seria julgado, pois o seu advogado de defesa Josias Domingos de Lemos não estava presente. Ele teria passado mal e foi internado no Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape). A juíza Marinês determinou um novo julgamento para Alexsandro, previsto para o dia 27 de fevereiro de 2013. Após o anúncio de uma nova data para o julgamento de Alexsandro, por volta das 10h30, teve início o sorteio para escolha dos sete jurados entre os 24 presentes. Neste momento, uma confusão foi protagonizada pelo defensor de Delma Freire, José Carlos Penha, atrasando o julgamento por mais 1h30. O tumulto teve início depois das recusas dos jurados sorteados.  A manobra da defesa não surtiu resultado - serviu apenas para aumentar o atraso da sessão. Ouça o balanço do julgamento pela manhã, na reportagem de Rafael Carneiro, da Rádio Jornal TARDE - O julgamento dos acusados de matar a alemã Jennifer Kloker foi reaberto com mais confusão. A sessão teve início com o testemunho da delegada Gleide Ângelo - responsável pelas investigações juntamente com o delegado Alfredo Jorge e também testemunha do caso. Em seu depoimento, a delegada Gleide Ângelo afirmou que tem certeza que os réus são culpados e que o crime foi planejado na Itália. Ela disse ainda que casamento de Delma Freire e Ferdinando Tonelli era por interesse e que os dois não moravam juntos. O clima seguiu tenso durante o depoimento do delegado Alfredo Jorge, que norteou a sua fala nos dados técnicos das provas.  O delegado afirmou ter certeza da culpa dos réus e que os dados fornecidos pelo GPS do Gol alugado pela família não deixam dúvidas de que Delma Freire, Ferdinando e Pablo Tonelli planejaram o crime contra a jovem. Segundo o delegado, o percurso apresentado pelos acusados durante depoimento na delegacia é completamente diferente do registrado pelo GPS.  O delegado acrescentou que o Gol alugado pela família possui um dispositivo que precisa ser acionado para o carro continuar em movimento.  Após os depoimentos das testemunhas, a juíza Marinês Viana encerrou a sessão desta segunda. O júri será retomado às 9h desta terça (11). O repórter Rafael Carneiro, da Rádio Jornal, acompanhou todo o primeiro dia do julgamento. Escute, o momento que Delma Freire passa mal e é atendida por médicos, finalizando o dia de julgamento. Abaixo, o momento em que a primeira testemunha de acusação, delegada Gleide Angelo, aponta como foi o crime Não perca os acontecimentos do segundo dia de julgamento, nesta terça-feira (11). Acompanhe tudo na Rádio Jornal (780 AM)

Mais Lidas