Ministério Público vai analisar validade do reajuste nas tarifas de ônibus do Grande Recife


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/01/2013 às 7:26
Leitura:
Do Redator de Plantão mppe_INTER O Ministério Público de Pernambuco vai analisar a validade do reajuste nas tarifas de ônibus da Região Metropolitana do Recife. O dossiê foi entregue pelo comitê contra o aumento das passagens formado por dezenas de instituições. Esse foi o último ato realizado, nesta segunda-feira (07), e que teve a maciça presença de estudantes. O reajuste no transporte coletivo entrou em vigor no último domingo (06) para cerca de dois milhões de usuários. O percentual não atendeu as reivindicações das empresas e vem recebendo críticas dos passageiros. A mobilização desta segunda começou com uma passeata e interdições temporárias nas Avenidas Conde da Boa Vista e Guararapes, área central da cidade. O trânsito, como era de se esperar, ficou congestionado e muitas pessoas tiveram dificuldades. No meio do protesto, Glauber Brandão estava irritado por ficar tanto tempo na parada a espera de um coletivo: protesto_INTER A mobilização contra o aumento das passagens foi realizado sem o registro de confrontos entre manifestantes e polícia militar. Uma mulher passou mal no interior de um dos coletivos parados no congestionamento e precisou ser socorrida. Para os estudantes, este é apenas o início de uma série de ações voltadas a reverter o reajuste nas tarifas. Marcos Vinicius é presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Católica de Pernambuco: O dossiê elaborado pelo comitê contra o aumento das passagens é formado por três pontos básicos: reavaliação do reajuste a partir da auditoria nas 18 empresas que operam o transporte público, melhorias na qualidade do serviço oferecido e acréscimo de um representante da sociedade civil ao conselho metropolitano. Janaina Lima, uma das integrantes da comissão, argumenta que o setor do transporte é uma caixa preta: ONIBUS02_INTER_OK Cinco integrantes do comitê contra o aumento da passagem foram recebidos pela subprocuradora geral de justiça. Lais Teixeira já repassou o caso a Promotoria de Defesa da Cidadania em Transportes Coletivos Metropolitanos. Todo o material será analisado pelo promotor Humberto Graça. Por enquanto, não há uma data para a resposta as reivindicações. A Subprocuradora Geral de Justiça fala dos próximos passos a partir da entrega do dossiê dos ônibus:

Mais Lidas