Polícia investiga morte de menino de 12 anos eletrocutado no município do Cabo


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/04/2013 às 15:36
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada às 9h20 - 25.04.2013 energia-choque A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurarar as circunstâncias que levaram a morte do estudante João Tomaz da Silva Neto, de 12 anos. O caso ocorreu na manhã desta quarta-feira (24), no bairro de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. João Tomaz seguia para a escola Paulo Freire, quando nas proximidades da praça Marcos Freire, escorregou no gramado, que estava molhando por conta da chuva, se segurou em um poste e sofreu uma descarga elétrica. O equipamento de iluminação é feito de material metálico. João Tomaz chegou a ser encaminhado a Policlínica Jamaci de Medeiros, no mesmo bairro, mas já deu entrada na unidade de saúde sem vida. O tio do menino, João Luiz Saraiva, afirmou que a família está transtornada com o ocorrido. Os moradores do bairro afirmam que já haviam informado a Companhia Energética de Pernambuco que era comum fatos envolvendo descargas elétricas na praça Marcos Freire. Contudo, de acordo com a Celpe nenhuma queixa foi registrada formalmente. O corpo de João Tomaz da Silva Neto já está no Instituto de Medicina Legal, no Recife. Em entrevista a TV Jornal, a pedagoda Leda Ramos, que reside nas proximidades da praça Marcos Freire, relata o que viu momentos após o incidente. Escute e saiba mais na reportagem de Everson Teixeira, da Rádio JC CBN. A repórter Karoline Fernandes, da Rádio JC CBN, esteve, na manhã desta quinta-feira (25), na Igreja Assembleia de Deus, de Ponte dos Carvalho, Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, acompanhando o velório do garoto. REPOSTA - Sobre o acidente a assessoria de imprensa da Celpe enviou uma nota para imprensa. "Em relação ao vazamento de corrente em um poste iluminação pública que resultou na morte de uma criança em Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) esclarece que a estrutura ornamental é de responsabilidade da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho. Uma equipe da concessionária se dirigiu ao local e constatou que técnicos da prefeitura estavam adotado as providências cabíveis", apontou a nota.

Mais Lidas