CDL Recife lança pesquisa de perfil da inadimplência

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/05/2013 às 11:13
Leitura:
Da Rádio JC News Recife A CDL Recife realizou, no mês de abril, uma pesquisa relativa ao perfil do inadimplente recifense. Uma das novidades deste levantamento são os dados referentes à relação entre o consumidor e a inflação. De acordo com a pesquisa, 83% dos negativados afirmaram haver percebido aumento dos preços de alimentos e bebidas. Habitação e despesas pessoais tiveram 4% das respostas. Esse resultado indica que o aumento do nível geral de preços tem chegado principalmente à mesa do consumidor, dado confirmado pelo IPCA de abril, medido pelo IBGE, que registrou alta de 5,65% nos preços do grupo de Alimentos e Bebidas somente entre janeiro e abril deste ano. O consumidor sente mais a inflação de alimentos e bebida. Quando ele vai fazer as compras do mês, consegue observar que os preços estão aumentando, mesmo com a medida do Governo Federal de isenção dos impostos na cesta básica, afirmou Eduardo Catão, presidente da CDL Recife. Ainda sobre o tema, a inflação tem alterado a decisão de consumo de 75% dos entrevistados. Entre esses, 32% afirmaram ter diminuído o consumo de bens básicos por causa do aumento do nível de preços, 24% decidiram fazer substituição de produtos por marcas mais baratas ou cortar os supérfluos. Já 15% optaram por deixar de realizar algum pagamento para manter o mesmo nível de consumo, culminando na inadimplência, enquanto que 4% se endividaram, entrando no rotativo do cartão de crédito. Dentre os consumidores que tentaram driblar o aumento de preços para manter as contas em dia, 25% buscou fontes de renda extra, 10% optaram por tomar empréstimos bancários, 7% recorreu as reservas da poupança e 4% entrou no cheque especial. Com relação ao perfil do inadimplente, os devedores são em sua maioria homens (52,1%), com idade entre 21 e 40 anos (67%), possuem ensino médio completo ou incompleto (63%) e renda familiar mensal compreendida entre um e três salários mínimos (68%). Os cartões de crédito e de loja permanecem como maiores causadores de débitos. Somados, correspondem a 43% dos tipos de dívida. De acordo com Catão, esse resultado está ligado ao fato do cartão ser o principal instrumento de compra, devido a sua comodidade, facilidade, segurança nas transações e crédito pré-aprovado. As prestadoras de serviços são o terceiro tipo de dívida mais recorrente, origem da inadimplência de 14% dos entrevistados. Em seguida vêm as financeiras com 11%, o que representa crescimento de 5 pontos percentuais (p.p.) em relação a abril de 2012. De acordo com a pesquisa, houve uma redução significativa das parcelas de dívidas menores que R$ 100, apresentando queda de 19 p.p. em 12 meses. Já o índice de consumidores com parcelas compreendidas entre R$101 e R$400 passaram de 39%, em abril de 2012, para 48%, em abril de 2013. Os entrevistados que alegaram possuir dívidas maiores que R$400 também apresentaram crescimento considerável de 10 p.p na comparação anual, passando de 27% para 37%. O processo inflacionário apertou quem ganha menos, que consequentemente passou a comprar menos. Isso é uma demonstração da pressão inflacionária. A inadimplência hoje se dá muito mais por conta de um processo inflacionário, do que por perda de emprego, comentou o presidente. O número de consumidores que pretendem fazer novas compras após quitar o débito apresentou uma diminuição de 10 p.p. quando comparado a abril do ano passado, enquanto o índice daqueles que não sabem se voltarão a fazer dívidas aumentou 9 p.p.. A maioria dos negativados (33%) espera que seu nível de consumo nos próximos seis meses seja menor que o atual, 23% esperam que seja maior, 22% acham que consumirão o mesmo que hoje e 22% não sabem ou não tem expectativa quanto ao nível de consumo futuro. Esses resultados demonstram que o consumidor está sendo mais cauteloso ao realizar novas compras. Todos sentem o aumento dos preços, então é necessário avaliar os gastos, pontuou. Pesquisa de Inadimplência Desde fevereiro de 2011, a CDL Recife, através de seu Núcleo Econômico, vem realizando periodicamente pesquisas para identificar o perfil da inadimplência dos consumidores do Recife e Região Metropolitana. No levantamento são aferidas informações com relação a origem do débito, grau de escolaridade, renda familiar, causas da inadimplência, período de atraso do(s) título(s), valor da dívida, recursos que pretende utilizar para quitação da pendência, entre outros. As entrevistas são executadas no setor de atendimento ao público do SPC, onde circulam diariamente cerca de 800 pessoas. Ouça a entrevista com Eduardo Catão, presidente da CDL Recife.

Mais Lidas