Deputado federal critica base governista sobre votação da PLP 416/08

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/05/2013 às 9:44
Leitura:
Da Rádio JC News Recife Na semana passada, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, cogitou algumas vezes votar a proposta na terça (14), com as galerias da Casa como testemunhas. "O presidente assumiu um compromisso com os parlamentares e dizia que iria colocar em votação, fato que não aconteceu. Um homem tem quer ter palavras. Palavra dada tem que ser cumprida e isso não está acontecendo com a base do governo", afirmou o democrata. Como regulamenta a Constituição, um projeto de lei complementar precisa ser aprovado por mais da metade dos deputados, 257 votos. Augusto Coutinho disse que a Câmara Federal não pode ficar "subserviente" ao Palácio do Planalto e criticou a ida da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), que se reuniu com  líderes da base governista para emplacar a votação de quatro medidas provisórias. A pestista disse haver acordo entre os líderes para que as MPs sejam aprovadas pelos deputados a tempo de entrarem em votação no Senado antes que percam a validade. "Isso é lastimável. A Câmara está sujeita ao que o governo quer. A Câmara não pode ficar de cócoras para o Palácio do Planalto", disse Coutinho, em entrevista a uma rádio local. Segundo ele, a PLP 416 é uma iniciativa importante e não afrouxa os munícipios, pois tem critérios rígidos e responsáveis. Ouça a entrevista com o deputado.

Mais Lidas