Drama de moradores de blocos com risco de cair ainda está longe do fim


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/05/2013 às 18:21
Leitura:
Da Rádio Jornal fachada_inter O drama das famílias que moravam no bloco A1 do Residencial Eldorado, em Água Fria, Zona Norte do Recife, está longe do fim. Desde a última sexta-feira (24), quando a edificação rachou, ameaçando desabar, a rotina dos moradores é esperar. A vigília ao lado dos tapumes que isolam os blocos A1 e A2, agora condenados, é para recuperar pequenos objetos sem tanto valor financeiro, como documentos. Os moveis e eletrodomésticos, alguns conseguidos com  muito trabalho, agora serão deixados para trás. Cerca de 30 famílias perderam tudo e pretendem enfrentar a justiça para obter o direito  à indenização. Os moradores foram vítimas da omissão do poder público e do próprio banco que financiou os imóveis. Pelo menos este é o endendimento do Ministério Público Federal, que em 2009, entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal, determinando que as Prefeituras de Recife, Olinda e Jaboatão adotassem medidas de proteção. A Caixa Econômica Federal também consta como ré no processo. As partes deveriam ter tomado medidas necessárias à solução dessas construções, o que não aconteceu. O processo agora está para ser apreciado pelo procurador João Bosco de Araújo Fontes Júnior, no Tribunal Regional Federal da quinta região. Saiba mais na reportagem de Karoline Fernandes, da Rádio JC CBN

Mais Lidas