Apesar das agências fechadas, greve dos bancários não altera rotina dos clientes no Recife

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/09/2013 às 14:34
Leitura:
Da Rádio Jornal Unidades bancárias do Recife amanheceram, nesta quinta-feira (19), com cartazes e, em diversos pontos da cidade, funcionários realizavam piquetes e orientavam a população sobre o início da paralisação da categoria. De acordo com o Sindicato dos Bancários, no estado mais de 4 mil agências aderem a greve que afeta serviços como empréstimos, financiamentos, mudanças ou criação de senhas e resgates de cheques. O movimento ocorre por tempo indeterminado em todo o Brasil e pede reajuste salarial de 11,93 %, participação nos lucros, auxílios alimentação, refeição, o fim de metas abusivas e o assédio moral. Renato Brito, diretor do Sindicato dos Bancários, acredita que a paralisação é a única na busca pelas reivindicações. Na Avenida Conde da Boa Vista, as unidades recebiam apenas movimento nos caixas eletrônicos para pagamentos de contas, transferências e saques. Para a aposentada Aline Matos a greve não trouxe problemas na hora de sacar dinheiro. Já o comerciante José Carlos esteve na mesma agência e não teve a mesma sorte na hora de sacar uma quantia acima da permitida nos caixas eletrônicos. Ouça os detalhes na matéria de Rafael Carneiro, da Rádio Jornal: Por outro lado, a Federação Nacional dos Bancos (Febraban) propôs reajuste de 6,1% para os salários e outros benefícios. Às 18h os funcionários das instituições financeiras realizam assembleia no sindicato. Leia também: Mais de 4 mil unidades bancárias de Pernambuco aderem à greve iniciada nesta quinta

Mais Lidas