Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio entra no caso dos atos de vandalismo em estação do metrô

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/10/2013 às 8:30
Leitura:
Da Redação Atualizada às 15h34 metro_inter Fotos: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal A polícia vai identificar através de imagens autores dos atos de vandalismo na Estação Coqueiral do metrô do Recife. Além das câmeras de monitoramento, existe material postado nas redes sociais e repassados às emissoras de televisão. A Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio será responsável pelo inquérito a ser concluído em trinta dias. metro_inter_02 Durante a confusão, várias vidraças foram quebradas e lixeiras e extintores de incêndio danificados pelos vândalos. O tumulto começou depois que um trem quebrou entre as estações Werneck e Coqueiral na manhã dessa segunda-feira (30). metro_inter_03 Quem não aguentou esperar optou pelos ônibus e enfrentou coletivos em pequena quantidade e superlotados. Os passageiros que estavam na hora do vandalismo contam que a situação foi controlada após o reforço da polícia militar. O Metrorec informa que uma descarga elétrica provocou a pane na composição entre as estações Werneck e Coqueiral. Dados oficiais indicam que cerca de 280 mil pessoas utilizam diariamente este tipo de transporte. Nos chamados horários de pico, o intervalo entre as viagens na linha centro é de apenas cinco minutos. Por conta do vandalismo, uma das composições não circula na operação desta terça-feira (1º). Um passageiro que prefere o anonimato afirma que os vândalos agiram sem qualquer tipo de remorso: O assessor de imprensa da Metrorec, Salvino Gomes, informou à JC News com Graça Araújo, que os oito vagões depredados não têm previsão de voltarem à circulação:

Mais Lidas