Polícia ouve pela terceira vez ex-noiva do promotor assassinado em Itaíba


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/10/2013 às 16:27
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Acervo pessoal/ Facebook Foto: Acervo pessoal/ Facebook

Por volta das 10h desta sexta-feira (18), Mysheva Ferrão Martins, ex-noiva do promotor assassinado Thiago Faria Soares, prestou novo depoimento na Delegacia de Águas Belas. O depoimento da mulher durou cerca de 4 horas, ela foi liberada por volta das 14h. Aparentando estar muito abatida a Mysheva não quis falar com a imprensa.

O delegado Joselito Hehrle, chefe da Diretoria Integrada de Polícia Especializada da Polícia Civil, em entrevista, afirmou que ela está sendo tratada como vítima, e que está sendo ouvida outras vez por ser uma peça importante para a resolução do caso.

O repórter Wagner Sarmento, do Jornal do Commercio, traz as informações diretamente de Itaíba, no Agreste pernambucano:

A busca pelo mandante do assassinato do promotor Thiago Faria Soares chega a outros estados. O fazendeiro José Maria Pedro Rosendo, conhecido como Zé Maria, é apontado pela polícia como responsável pelo crime. De acordo com o Secretário de Defesa Social, Wilson Damásio, o fazendeiro tem propriedades em Alagoas o que leva a polícia a acreditar na hipótese de uma possível fuga para esse estado. Ainda segundo Damásio, imagens das câmeras de segurança de um motel confirmam que o mandante e o suspeito de efetuar os disparos que matou o promotor, Edmacy Cruz Ubirajara, estiveram momentos antes do crime próximo a vítima. Wilson Damásio descartou o envolvimento de terceiros no homicídio. Edmacy Cruz Ubirajara é suspeito de assassinar o promotor Thiago Faria  Foto: Wagner Sarmento/JC Edmacy Cruz Ubirajara é suspeito de assassinar o promotor Thiago Faria
Foto: Wagner Sarmento/JC O secretário afirmou ainda que a hipótese de empréstimo de R$ 100 mil por parte do ex-noivo da advogada Mysheva Ferrão Martins para arrematar a fazenda nova não foi comprovada. Damásio descartou a possibilidade do ex-noivo de Mysheva ter assassinado o promotor. O secretário Wilson Damásio esclareceu que a informação sobre um suposto casamento no civil entre o promotor e a advogada Myshea Ferrão, foi checada nos cartórios e não é verdadeira. Para ajudar as investigações o disque-denúncia oferece a quantia de R$10 mil para quem tiver alguma informação que leve à prisão de José Maria Pedro Rosendo Barbosa, apontado como mandante do crime. O repórter Carlos Simões, traz mais informações sobre o caso na matéria:

Mais Lidas