Deputado Pedro Eugênio terá a missão de comunicar a saída do PT do palanque socialista

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/10/2013 às 8:00
Leitura:
Da Redação Atualizada às 19h19 pedro_eugenio_jc_interna Foto: JC Imagem Rachado e em meio a acalorados embates internos, o PT de Pernambuco decidiu, nesse domingo (20), entregar imediatamente os cargos que o partido mantém no governo do Estado e nas prefeituras do Recife e de Paulista, na Região Metropolitana da Capital. O anúncio acontece pouco mais de um mês após o governador e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, desembarcar do governo da presidente Dilma Rousseff, sua provável adversária nas eleições do ano que vem. A missão de comunicar a ruptura é do presidente estadual da legenda, o deputado federal Pedro Eugênio. Nesta segunda (21), Joffre Melo conversou com o deputado sobre o assunto. Confira a entrevista na íntegra, no link abaixo. Com a expectativa para as eleições de 2014 e para a presidência do partido, daqui a três semanas, o clima dentro do PT é de racha. Um grupo liderado pela deputada estadual Teresa Leitão (PT) pretende entrar com uma denúncia junto à diretoria nacional a respeito de possíveis irregularidades na reunião desse domingo (20). De acordo com o ex-presidente estadual do PT Dilson Peixoto, as minorias sempre esperneiam em qualquer decisão político.  Segundo ele, o  governador Eduardo Campos (PSB) não é inimigo, mas adversário político do PT no plano nacional.  [Ouça entrevistas que foram ao ar na JC News com Aldo Vilela] Para o ex-prefeito do Recife, João da Costa, a crise do PT não vem de agora. O político acredita que o problema começou nas últimas eleições, quando não houve diálogo para a escolha do candidato à Prefeitura do Recife

Mais Lidas