Compesa diz não ter culpa em deslizamento de barreira no Ibura, mas presta assistência

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/10/2013 às 10:19
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizado às 15h11 Foto: Carol Abreu/ TV Jornal Foto: Carol Abreu/ TV Jornal

A Compesa alega que, ao contrário da versão dos moradores, não havia qualquer registro no sistema da companhia sobre vazamento de cano no local onde ocorreu deslizamento de barreira no Ibura. A encosta cedeu na madrugada dessa quarta-feira (23) e atingiu três imóveis na Primeira Travessa Doutor Pedro Moscoso, em Lagoa Encantada.

Diante dos danos materiais, duas residências foram interditadas pelas equipes da Defesa Civil do Recife. A tubulação que se rompeu tem 32 mm de diâmetro e já foi consertada pela Compesa. Os engenheiros da companhia identificaram ligações clandestinas e canaletas obstruídas com lixo.

Duas casas foram interditadas pela Secretaria Executiva de Defesa Civil do Recife e as famílias foram orientadas a procurar outro abrigo. Apesar dos riscos, o educador Ivan Claudino continua na casa, por não ter para onde ir. Ele conta que teve um prejuízo de cerca de R$ 7 mil.

A repórter Karoline Fernandes voltou ao local para acompanhar a situação dos moradores que tiveram as casas atingidas e eles confirmam que já reclamaram sobre o vazamento de água na Compesa e tem, inclusive, protocolo da reclamação:

Mesmo alegando que não tem nada a ver com deslizamento, a Compesa confirma que vai prestar assistência às famílias. Assistentes sociais estiveram no local para fazer o levantamento dos prejuízos na comunidade. O superintendente metropolitano sul da Compesa, Ronaldo Castro, garantiu que as famílias prejudicadas serão reembolsadas em até 30 dias.

A repórter Karoline Fernandes traz todos os detalhes, na matéria:

Mais Lidas