Corpo de sanfoneiro Arlindo dos 8 Baixos é sepultado no Cemitério de Santo Amaro


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/10/2013 às 18:02
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizado às 8h10 Foto: Guga Matos/ JC Imagem Foto: Guga Matos/ JC Imagem

O sanfoneiro Arlindo dos 8 Baixos foi sepultado no final da tarde desta quinta-feira (24), no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. Músicos, familiares, amigos e fãs se despediram do artista. Aécio dos 8 Baixos, irmão de Arlindo, prestou uma homenagem ao irmão tocando uma composição do sanfoneiro falecido, antes do caixão ser sepultado. Aécio atendeu ao último pedido do irmão e não deixou a sanfonar parar.

A repórter Clarissa Siqueira acompanhou o sepultamento:

Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News

O forrozeiro, referência mundial na sanfona de oito baixos, instrumento conhecido pela dificuldade de se dominar, passou mal e morreu durante uma sessão de hemodiálise, no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). Ele tinha 71 anos, 50 só de carreira, e deixou um legado incalculável pra a cultura pernambucana.

Arlindo sofria de diabetes há 18 anos e há pelo menos 15 havia perdido boa parte da visão. Também por complicações da doença, no último ano ele precisou amputar as duas pernas.

O corpo do músico começou a ser velado desde a quarta-feira, no Imip. Às 11h desta quinta-feira (24) ele seguiu para a Câmara dos Vereadores do Recife.

Velório começou na capela do Imip.  Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal Velório começou na capela do Imip.
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal O tocador nasceu em Sirinhaém, no litoral norte de Pernambuco, deixou três filhos de sangue e outros dois de criação, além de uma dezena de netos. Arlindo dos Oito Baixos foi muito amigo de Dominguinhos, falecido em 23 de julho deste ano, e de Luiz Gonzaga, que sempre frequentavam o forró organizado pelo músico. Antes do corpo ser sepultado, a repórter Clarissa Siqueira conversou com dona Áurea, que era amiga de Arlindo e enfermeira dele. Ela o conheceu no forró que o sanfoneiro organizava na casa dele. > LEIA TAMBÉM: Pernambuco perde patrimônio vivo. Morre aos 71 anos sanfoneiro Arlindo dos 8 Baixos

Mais Lidas