Justiça condena apenas um dos dois réus no caso do assassinato do Frei Luciano em Goiana

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/10/2013 às 7:05
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Reprodução/ Arquivo TV Jornal Foto: Reprodução/ Arquivo TV Jornal Um misto de alegria e tristeza tomou conta do fórum Joana Bezerra na noite dessa quinta-feira (24), durante a leitura da sentença dos acusados de matar o Frei Luciano Santos Andrade. Ele foi assassinado em 2003, em um convento, em Goiana, na mata norte do estado. Sergio Aranha da Silva, de 48 anos, foi considerado inocente pelo juri popular, mas Walter Maciel Correia, de 47 anos, foi condenado, a 21 anos de prisão pelo assassinato do religioso. Os dois eram acusados de homicídio qualificado. A vítima foi encontrada com uma pancada na cabeça e nua do lado de fora do convento Nossa Senhora do Carmo. O frei teria sido jogado da sacada do local depois de flagrar os dois homens roubando 10 mil reais da igreja. O julgamento de Walter e Aranha começou na quarta-feira (23) e na noite da quinta (24) o juri popular apresentou o veredito. Walter Maciel Correia deve cumprir 21 anos de reclusão, 15 por homicídio qualificado e outros seis por agravantes. Sérgio Aranha foi inocentado, mas diz que o alívio de não ser preso se mistura com a tristeza de ver o amigo injustiçado. > LEIA TAMBÉM: Julgamento do assassinato do Frei Luciano é retomado com interrogatório dos réus; Acusados de assassinar Frei Luciano Santos em 2003 são julgados no Recife.

Mais Lidas