Ambulantes retirados da Ponte de Ferro realizam protesto na Avenida Conde da Boa Vista


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 31/10/2013 às 15:41
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizado às 17h Foto: Bruno Souza/ NE10 Foto: Bruno Souza/ NE10

O protesto dos ambulantes, que deixou o trânsito complicado na Avenida Conde Boa Vista, nesta quinta-feira (31), chegou ao fim após 5 horas. Uma comissão do Sindicato dos Ambulantes está reunida no Ministério Público para denunciar a ação dos policiais durante a manifestação.

A repórter Clarissa Siqueira traz os últimos detalhes no flash:

Cerca de 50 comerciantes informais que vendiam seus produtos na Ponte de Ferro, na área central do Recife, realizaram protesto, nesta quinta-feira (31), na Avenida Conde da Boa Vista, também no Centro. Os ambulantes foram transferidos para a Avenida Dantas Barreto, no último dia 13, e reclamam que não há movimento de clientes no local.

Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News

Houve confronto entre manifestantes e a polícia. Os policiais do Batalhão de Choque atiraram balas de borracha e gás lacrimogênio e os ambulantes responderam com pedras. Por causa do confronto, muitas lojas do centro fecharam as portas e alguns clientes aguardam, dentro dos estabelecimentos, que a confusão termine.

Batalhão de Choque disparou balas de borracha contra os trabalhadores. Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News Batalhão de Choque disparou balas de borracha contra os trabalhadores.
Foto: Clarissa Siqueira/ Rádio JC News O fluxo de carros ficou complicado no Centro. Os ônibus que vêm do subúrbio estão retornando no Derby. A repórter Clarissa Siqueira acompanha a manifestação:

Maurício Gouveia, membro do Sindicato dos Ambulantes e vendedor informal, relatou que durante uma reunião realizada com representantes da prefeitura, nesta quinta-feira (31), ficou acertado que os 80 comerciantes informais, que foram relocados na Av. Dantas Barreto, vão ser transferidos a partir desta sexta-feira (1º) para a Conde da Boa Vista. E afirmou que até o dia 30 de dezembro não haverá mais protesto.

Acompanhe essas últimas informações no flash da repórter Clarissa Siqueira:


Mais Lidas