Igreja católica vai investigar denúncia de venda superfaturada de túmulos de irmandades religiosas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/11/2013 às 16:08
Leitura:
O cemitério de Santo Amaro é o maior  de Pernambuco. Foto: Bernardo Soares/ JC Imagem Cemitério de Santo Amaro é o maior do Recife Foto: Guga Matos / JC Imagem Uma comissão formada por religiosos e advogados vai realizar uma auditoria em 34 irmandades católicas suspeitas de um esquema de cobrança irregular de taxas e venda de túmulos no Cemitério público de Santo Amaro, o principal do Recife. As vítimas seriam abordadas por integrantes dessas associações privadas de católicos, e chegavam a pagar até R$ 800 reais por uma vaga nesses espaços. Até um suposto padre estaria envolvido no caso, que está sendo investigado pela Delegacia da Boa Vista. Nesta sexta-feira (1º), o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, conversou com a imprensa para esclarecer as ações que serão tomadas pela Igreja, entre elas, a intervenção nas irmandades. O arcebispo considerou histórica esta medida. Os suspeitos investigados podem ser indiciados pelos crimes contra a economia popular e estelionato. A repórter Karoline Fernandes traz os detalhes das investigações: LEIA MAIS Polícia investiga venda superfaturada de túmulos pertencentes a irmandades religiosas

Mais Lidas