Após quase cinco anos, acusados de assassinar Manoel Mattos começam a ser julgados

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/11/2013 às 9:30
Leitura:
Da Redação manoel01 Manoel Mattos era assessor jurídico do deputado federal Fernando Ferro (PT-PE). Foto: Reprodução/ Facebook Começa na manhã desta segunda-feira (18), a partir das 9h, no prédio da Justiça Federal, em João Pessoa (PB), o julgamento dos homens acusados de assassinar o advogado Manoel Mattos. Os réus são José da Silva Martins, o Zé da Parafina, e Sérgio Paulo da Silva, o Sérgio da Rua da Palha, acusados de serem os executores. O sargento Flávio Inácio Pereira e Cláudio Roberto Borges, apontados como mandantes e Nilson Borges, que teria emprestado a arma. O processo foi "federalizado", ou seja, saiu da esfera do Tribunal de Justiça local para outro patamar. O julgamento segue os mesmos trâmites de um processo criminal, com sorteio dos jurados, leitura dos autos, depoimentos e debates. O advogado Manoel Mattos foi executado em janeiro de 2009, na praia de Pitimbu, na Paraíba. Ele denunciava a ação de grupos de extermínio nas cidades da divisa de Pernambuco com a Paraíba. Vão atuar na acusação os procuradores da república Marcos Alexandre Bezerra Wanderley de Queiroga e Alfredo Carlos Gonzaga Falcão Junior e Fabrício Carrer, além do conselheiro da OAB Pernambuco Maurício Bezerra. A expectativa é de que o julgamento dos réus dure três dias e caso sejam condenados podem pegar pena de até 30 anos. Nair Ávila, mãe de Manoel Mattos, afirma que vai continuar lutando para que a justiça seja feita doa a quem doer:

Mais Lidas