Professores de Jaboatão suspendem aulas em greve por tempo indeterminado


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/11/2013 às 10:18
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizado às 15h25 Foto: Karoline Fernandes/ JC News Foto: Karoline Fernandes/ JC News

Nesta quarta-feira (20), muitas escolas da rede de ensino de Jaboatão dos Guararapes suspenderam as aulas em apoio à greve dos servidores da educação do município. O movimento é por tempo indeterminado. De acordo com o Sindicato dos Professores de Jaboatão (Sinproja), a categoria reivindica direitos adquiridos, que foram retirados pela atual gestão do município. Ou seja, gratificações como o difícil acesso, pó de giz, aulas brancas, agora estão incorporadas aos vencimentos.

A repórter Karoline Fernandes esteve na Escola Marechal Costa e Silva, no bairro de Prazeres, e constatou que além dos direitos dos professores, a educação de Jaboatão também precisa de socorro em questões de infraestrutura. Ouça aqui a reportagem:

Leia também: Sob ameaça de greve dos servidores, prefeitura de Jaboatão lança concurso público.

Na Escola Marechal Costa e Silva, em Prazeres, o cenário de abandono por conta da greve ficou ainda mais visível. Cadeiras quebradas estão, há muitos meses, empilhadas no pátio da unidade, ocupando um espaço destinado ao recreio dos alunos. Para chegar à escola, servidores e estudantes precisam desviar da água suja que escorre de um cano estourado.

A repórter Karoline Fernandes relata o problema na matéria a seguir:

Em assembleia realizada na terça-feira (19), os servidores municipais de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, decidiram entrar em greve a partir da próxima segunda-feira (25). A decisão foi tomada a partir da aprovação de uma lei que redefine as normas do plano de cargos e salários dos servidores.

Por outro lado, o prefeito Elias Gomes anunciou medidas de valorização dos servidores e defende a redefinição das normas. Entre elas: a redução em 50% no número de cargos comissionados e anúncio de concurso público para substituir vagas de contratados.

O edital será lançado até dezembro deste ano e o concurso vai oferecer mais de 2400 vagas para as seguintes áreas: médicos, psicólogos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, dentistas, assistentes sociais, engenheiros, arquitetos, analistas de sistemas, técnicos em planejamento, fiscais do controle urbano, guardas municipais e agentes de trânsito. O maior número de vagas ofertadas, um total de 800 vagas, será destinado aos profissionais de saúde.


Mais Lidas