Redução de secretarias do Governo de Pernambuco significa economia de R$ 25 milhões por ano

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/11/2013 às 14:57
Leitura:
eduardo-470-2 Foto: Heudes Régis / JC Imagem A partir de janeiro de 2014, o Poder Executivo Estadual apresenta uma nova estrutura. As novas medidas foram assinadas, nesta quarta-feira (20), pelo governador Eduardo Campos, e serão encaminhadas à Assembleia Legislativa para aprovação. A lei da reforma administrativa prevê a incorporação, fusão e extinção de secretarias. Na prática, a medida reduz as 28 pastas para 21, que começam a ser readequadas no ano que vem. Esta é a segunda etapa da estruturação. Na primeira, o governo eliminou 969 cargos comissionados que vão ser ocupados por novos servidores. O objetivo é implantar um novo modelo de gestão ampliando a eficiência da máquina. A redução com os gastos deverá chegar a R$ 25 milhões. Entre as alterações, a Secretaria de Educação vai incorporar a de Esportes e as pastas de Transportes e Recursos Hídricos se fundem à Infraestrutura. A Secretaria Extraordinária da Copa vai ser extinta e funciona até julho de 2014. A outra lei a ser encaminhada à Casa Joaquim Nabuco trata do novo sistema previdenciário direcionado para novos servidores. Ela surge como alternativa para suprir o déficit. Só em 2012, o Estado fechou com um saldo negativo de R$ 1,2 bilhões nos cofres. Uma previdência complementar facilitada está sendo criada para incrementar o teto oferecendo dedução de impostos. O repórter Rafael Carneiro conversou com o governador Eduardo Campos, que comentou as mudanças:

Mais Lidas