Secretário Antônio Figueira afirma que denúncias têm conotações políticas

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/11/2013 às 9:30
Leitura:
Da Redação fig Foto: JC Imagem O advogado Mauro Feitosa, autor da ação que pede a saída do secretário de saúde de Pernambuco Antônio Carlos Figueira, vai recorrer da decisão da Justiça Federal que o mantém no cargo. Pela primeira vez, após todo o imbróglio, o secretário falou sobre o assunto com o âncora Aldo Vilela. A liminar foi derrubada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª região, o desembargador Francisco Wildo Lacerda Dantas. O argumento é de que o poder judiciário não pode interferir nas medidas administrativas do poder executivo. Com a decisão, o secretário Antônio Carlos Figueira permanece no cargo até o julgamento do mérito, sem data prevista. O pedido de suspensão da sentença da primeira vara foi solicitado pela Procuradoria Geral do Estado. Isso também significa que a Central de Transplantes de Medula Óssea do Hemope não será reativada de imediato. O argumento para afastar o gestor é o fato de que ele tinha vínculos com o Imip detentor de contratos milionários com o SUS. O advogado da ação popular Mauro Feitosa explica que não há fundamento manter o secretário. Ouça a entrevista com o advogado, na reportagem de Ingrid Andrade:

Mais Lidas