Comerciantes informais da festa do morro reclamam de prejuízos nas vendas


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/12/2013 às 15:05
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal

A três dias do fim da festa de Nossa Senhora da Conceição, em Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, a movimentação de visitantes está longe do esperado. Nos caminhos que levam os fiéis até a imagem no alto do morro, o trânsito de pedestres é pequeno. Já na paróquia, os bancos são ocupados pelo público em bom número. As missas realizadas a cada duas horas são cheias de emoção, que também é vista aos pés da santa.

No entorno da igreja, os comerciantes de artigos religiosos reclamam de mudanças e do baixo movimento de clientes. Em resposta às reclamações, a Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano informa que a redução do número de barraqueiros e a readequação dos comerciantes visam melhorar o passeio dos visitantes.

rafael carneiro 0512 0031 Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal

O repórter Rafael Carneiro conversou com a agricultora Severina Apolônia, que, aos 70 anos, veio de Paudalho, na Zona da Mata Norte, renovar a fé na padroeira do morro, com a comerciante Maria de Lurdes, que há 30 anos negocia na festa , e com o pároco do Morro da Conceição Roberto FrançaOuça na reportagem:


Mais Lidas