Após declarações polêmicas, Wilson Damázio deixa cargo de secretário de Defesa Social de Pernambuco

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/12/2013 às 17:33
Leitura:
Atualizada às 19h19 dam Em entrevista, secretário questiona: "Não sei por que mulher gosta tanto de farda"  Foto: Rodrigo Lôbo / JC Imagem Após entrevista publicada, nesta sexta-feira (19), no Jornal do Commercio, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Wilson Damázio, colocou o cargo à disposição do governador Eduardo Campos. Campos aceitou a renúncia e quem assume a pasta é o ex-secretário executivo da pasta, Alessandro Carvalho. [Antônio Martins Neto deu à notícia na JC News] A série de reportagem intitulada "Casa  Grande & Senzada - 80 anos" trouxe à tona a temática de prostitutas e usuárias do crack no Grande Recife. Em entrevista à reporter Fabiana Moraes, o secretário deu declarações como: "Não sei por que mulher gosta tanto de farda" e  " (...) desvio de conduta a gente tem em todo lugar. Tem na casa da gente, tem um irmão que é homossexual, tem outro que é ladrão, entendeu".  [Confira áudio da entrevista do secretário.  No trecho, a repórter questiona se não era o caso de se colocar câmeras nas viaturas. O secretário alega o direito individual e, em seguida, fala de casos de adultérios entre os policiais e do teórico fascínio que homens de farda exercem sobre as mulheres] Confira, na íntegra, a nota divulgada à imprensa: Eu, Wilson Damázio, Secretário de Defesa Social, com relação às declarações a mim atribuídas em reportagem do caderno Cidades do Jornal do Commercio de hoje, dirijo-me à sociedade pernambucana para declarar que as mesmas não constituem meu pensamento nem minha visão do mundo, razão pela qual repilo os termos e peço desculpas a todos aqueles que porventura tenham se sentido ofendidos. Esclareço ainda que a entrevista que embasou a reportagem foi interrompida em vários momentos, como a própria autora relata, permitindo o desenvolvimento, nesses intervalos, de conversações informais, em tom de brincadeira e termos que, reconheço, foram inapropriados e inadequados. Reafirmo, por fim, que se as palavras, como é fato, não representam minhas ideias nem minha história de vida, muito menos ainda, podem ser confundidas com as políticas desenvolvidas pelo Governo do Estado que vem revolucionando a Segurança Pública no Brasil com transparências, práticas cidadãs além de total e absoluta intolerância com qualquer conduta contrária aos direitos humanos, à liberdade de expressão e à proteção dos direitos individuais da pessoa humana. Para proteger o governo e o seu legado, informo que já coloquei o cargo à disposição do governador Eduardo Campos. Recife, 19 de dezembro de 2013 WILSON DAMÁZIO

Mais Lidas