Reabertura da maternidade do Cisam, na Encruzilhada, é marcada por problemas


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/12/2013 às 16:44
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Arquivo/ JC Imagem Foto: Arquivo/ JC Imagem

O primeiro dia de atendimento no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) foi marcado por complicações. Logo no início desta segunda-feira (30), foram identificados problemas em uma das válvulas de oxigênio do hospital e algumas mulheres foram prejudicadas. Uma delas, que estava em situação de baixo risco, precisou ser transferida.

A repórter Ingrid Elihimas conversou com a diretora do hospital, Fátima Maia, e com o representante de vendas Delúrcio Duval, marido de uma paciente que conseguiu ter o bebê no Cisam:

O Cisam é uma referência de atendimento à mulher grávida e ao recém-nascido de alto risco. O prédio da unidade tem 63 anos de funcionamento e havia sido fechado para reforma depois de apresentar problemas como vazamentos de corrente elétrica, equipamentos danificados, problemas de infiltração, telhas caídas e risco de desabamento.

Com a reforma foram feitas requalificações nas áreas de emergência obstétrica, sala de parto e bloco cirúrgico. A equipe médica conta com o reforço de 117 novos profissionais e o prédio também ganhou uma sala vermelha para atender as gestantes de risco.


Mais Lidas