Moradores que vão ser desapropriadas para obras do Capibaribe Melhor reclamam de indenização

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/01/2014 às 14:47
Leitura:
c monteiro Comunidade fica às margens do Rio Capibaribe Foto: Clarissa Siqueira / JC News A construção de um viaduto para ligar o tráfego de veículos das avenidas Caxangá a 17 de Agosto, na Zona Oeste do Recife, está provocando dor de cabeça nos moradores da Vila Esperança, na comunidade do Monteiro, no bairro de Casa Forte. Eles afirmam que a Prefeitura do Recife não negocia a desapropriação das casas no local, que vão ser demolidas para a construção da mega estrutura. As obras fazem parte do programa Capibaribe Melhor, ao redor do rio, para valorizar a região e facilitar a mobilidade. De acordo com os moradores da comunidade do Monteiro, a empresa de Urbanização do Recife (Urb) oferece cerca de R$ 37 mil para cada casa, mas o valor delas é muito maior. A repórter Clarissa Siqueira conversou com Severino Ferreira, que mora no local há 30 anos e diz que funcionários da Urb afirmaram que todos têm três dias para sair das casas. Em nota, a Urb afirmou que os valores pagos nos processos de desapropriações aos proprietários de imóveis estão dentro da legislação vigente e que são usadas como base de cálculo tabelas da Prefeitura do Recife. Ainda em nota, a empresa assegura que esse modelo é utilizado em todo processo de desapropriação no Recife.

Mais Lidas