Presidente da Urbana-Pe diz que rodoviários que participaram de protesto podem ser demitidos


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 31/01/2014 às 10:35
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizado às 11h19 Manifestantes impediram circulação dos coletivos. Foto: Diego Nigro/ JC Imagem Manifestantes impediram circulação dos coletivos. Foto: Diego Nigro/ JC Imagem Em entrevista ao programa Super Manhã desta sexta-feira (31), o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Integrado de Pernambuco - Urbana-PE, Fernando Bandeira de Melo, comentou com o comunicador Geraldo Freire a paralisação de advertência feita pelos integrantes da oposição ao sindicato dos rodoviários de Pernambuco na manhã desta sexta. O grupo de oposição ao atual sindicato dos rodoviários protestou contra o sindicato, pois há mais de 30 anos ele está sob a presidência de Patrício Magalhães. Eles alegam que a oposição não teve oportunidade de se candidatar à presidência. Fernando Bandeira de Melo disse que acha essa mobilização um "absurdo completo", pois "briga sindical se resolve no voto". Ele afirmou que a categoria não está mobilizada, que os ônibus saíram normalmente das garagens e que tudo isso não passa de um grupo de 20 pessoas com motivações político-partidárias. O presidente afirmou ainda que se identificando o rodoviário que aderiu ao movimento de protesto, a empresa pode demiti-lo. Ouça aqui a entrevista completa: Sobre a legalidade da paralisação dos rodoviários Geraldo Freire entrevistou também o desembargador e presidente do TRT, Ivanildo Andrade. Ivanildo explicou que a paralisação era ilegal, uma vez em que o instrumento de greve não cabe no âmbito sindical. Para ele, a movimentação não justifica a greve, pois "eles poderiam pedir um mandato de segurança e tentar impugnar a candidatura de Patrício Magalhães sem atrapalhar a população". Ouça aqui a entrevista com Ivanildo Andrade:

Mais Lidas