Polícia diz que criança morta em tiroteio no Totó foi atingida por engano


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/02/2014 às 14:45
Leitura:
fb8b72b49786f414144f93774478c21f O tio da criança, o instrutor de educação física Paulo Muniz, confirmou a versão da polícia Foto: Igo Bione/JC Imagem Depois de ouvir novos depoimentos, a polícia  acredita que o menino Miguel Almeida de Lima Freitas, 6 anos, foi atingido por engano durante tentativa de homicídio no último sábado (08), na Rua Botumirim, bairro do Totó, zona oeste do Recife. A criança brincava de bola de gude com outros meninos, quando dois homens em uma moto chegaram e dispararam tiros. O alvo seria Walter Gutemberg Robeiro da Cunha, 19 anos, que também levou um tiro, foi socorrido e passa bem. As primeiras informações deram conta de que o Walter teria colocado o menino Miguel na frente, para se proteger das balas. Mas a acusação que a criança virou um escudo humano está sendo desmentida pela polícia. O delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, Ivaldo Pereira, conta que a família da criança estaria ameaçando o Walber pelo ocorrido. A polícia identificou os dois envolvidos no crime. As investigações são no sentido de identificar a motivação, como explica o delegado. O corpo do menino está sendo velado no cemitério Parque das Flores, onde será o sepultamento, a partir das 3h da tarde. O pai da criança, o motorista Ismael Gomes, diz que só espera que a justiça seja feita, e lamenta a morte do filho. Agora às 2 horas da tarde, estudantes da escolinha onde o Miguel estudava, fazem uma passeata, na Avenida Liberdade, em frente ao cemitério.

Mais Lidas