Falta de informação sobre Alzheimer dificulta trabalho de cuidadores e decisões da família

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/03/2014 às 16:06
Leitura:
alzeihmer A Doença de Alzheimer é o tipo de demência mais comum em todo o mundo e atinge cerca de 1,2 milhão de brasileiros. Boa parte dessas pessoas não recebe cuidados de profissionais de saúde, mas sim dos próprios familiares, que muitas vezes não sabem como lidar adequadamente com a situação. Esse é o foco da dissertação de mestrado Cuidadores de idosos na Doença de Alzheimer: um estudo a partir das representações sociais, defendida pela jornalista Cinthya Leite no programa de pós- graduação em Saúde da Comunicação Humana (PPGSCH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em entrevista à JC News com Everson Teixeira, a mestre e jornalista explica que há mais de 10 anos trabalhando com a área de saúde, ela pôde observar a lacuna de conhecimento sobre a doença. Muitas pessoas associam a enfermidade apenas com a falta de memória. Este é o sintoma mais frequente, mas que vem acompanhado de distúrbios de comportamento e na comunicação. Para lidar com esse tipo de situação, os cuidadores devem ser bem capacitados de modo que entendam que são sintomas de enfermidade.

Mais Lidas