Eduardo Campos não descarta pedido de CPI para investigar gastos de refinarias

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/03/2014 às 8:30
Leitura:
Da Redação eduardooo Foto: JC Imagem Eduardo Campos participou nessa segunda-feira (24) de um evento no Centro de Convenções de Olinda, em comemoração ao dia da mulher. Em entrevista depois do evento, o governador se posicionou em relação à crise na Petrobrás e não descartou a possibilidade de uma CPI. Caso o governo não dê detalhes dos contratos feitos pela estatal vai ser pedida a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Na rede social Twitter Eduardo Campos já havia se posicionado, desde que um jornal paulista publicou uma matéria que tratava do tema. A publicação cita irregularidades e superfaturamentos na compra de uma refinaria no Texas, Estados Unidos. Esta aquisição teria gerado um prejuízo de mais de um bilhão de dólares aos cofres brasileiros, o governador diz que é preciso esclarecimentos. Ouça o depoimento na faixa a seguir: Em Brasília, o correspondente Romoaldo de Souza, conta que as articulações dos deputados e senadores de oposição para coletar assinaturas da CPI da Petrobrás vão continuar sendo desencorajadas pelos governistas. Ele conta que a senadora Gleisi Hoffmann, do PT do Paraná, chegou a insinuar que a oposição não está preocupada com os prejuízos apurados, mas com os interesses dos seus acionistas e os ganhos de mercado. Ouça na reportagem de Romoaldo, direto de Brasília: ABREU E LIMA - Ganhou destaque também nessa segunda-feira (24) o pedido do Tribunal de Contas da União, para que sejam investigadas as condições da obra da Refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. O contrato inicial, feito em 2005, entre os presidentes do Brasil e Venezuela, na época Lula e Hugo Chávez, previa que os custos com a construção seriam pagos entre a Petrobrás e a Companhia Estatal Venezuelana de Petróleo, mas a empresa brasileira é quem tem arcado com todos os gastos. Até hoje a Venezuela não investiu nenhum valor na iniciativa e o contrato entre os dois países teria sido feito de formas não oficiais, o que gerou o prejuízo. O TCU já vem investigando a Refinaria Abreu e Lima desde 2008, já ficou comprovado o superfaturamento e ela também pode ser investigada pela CPI defendida pela oposição do governo. As produções na refinaria deveriam ter começado em 2010, mas a promessa da Petrobrás é entregar a obra concluída este ano, com quatro anos de atraso.

Mais Lidas