Humberto nega que haja retaliação do Governo Federal ao projeto do Arco Metropolitano


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/03/2014 às 10:40
Leitura:
Da Rádio Jornal  Foto: Agência Brasil Foto: Agência Brasil Em entrevista ao programa Super Manhã da Rádio Jornal desta quarta-feira (26), o senador Humberto Costa (PT) conversou com o comunicador Geraldo Freire sobre o assunto do Arco Metropolitano, que foi levantado na terça (25), após suspensão de licitação da obra. Ele explicou os motivos da suspensão e criticou quem se refere ao caso como algum tipo de retaliação ao governo de Pernambuco. Humberto conta que na terça-feira (25) se encontrou com o ministro dos transportes, César Borges, e explicou como funciona a obra. De acordo com Humberto, o projeto do Arco Metropolitano tinha a pretensão do Governo do Estado de Pernambuco de ser uma Parceria Público Privada (PPP), que cobraria pedágio, mas que por decisão do Governo Federal de não aprovar o pedágio em áreas urbanas e de região metropolitana, a obra foi assumida pela esfera federal. Arco é fundamental para o polo automotivo da Fiat Chrysler. Foto: Divulgação Arco é fundamental para o polo automotivo da Fiat Chrysler. Foto: Divulgação Leia também: - Humberto Costa diz que recursos do Arco Metropolitano estão garantidos e ele deve ser construído. - Fernando Ferro acredita que obra do Arco Metropolitano não possui relatório ambiental. Com a decisão, o Governo de Pernambuco ofereceu o projeto que havia sido feito pra a PPP, a licitação começou a ser preparada, mas como havia uma série de imprecisões foi necessário fazer alterações no projeto. Empresas questionaram modelo de licitação e o próprio Tribunal de Contas da União (TCU) havia levantado aspectos a serem considerados no projeto inicial. Por esse motivo, o Governo Federal entendeu que seria interessante suspender a licitação, pra que sejam feitas as alterações necessárias. Na entrevista, o senador aproveitou para criticar quem tem falado do caso como uma retaliação do governo federal ao governo de Pernambuco e fez ataques diretos ao governador Eduardo Campos.  "Estão querendo criar uma temática política em algo que não tem nada a ver. Estão querendo dizer que Pernambuco está sendo discriminado porque o governo estadual rompeu com o PT". Ele diz que não há qualquer tipo de retaliação e completa: "Estão querendo criar um clima de confronto com o Governo Federal desnecessariamente. É uma profunda ingratidão alguém querer dizer que o governo esteja tendo qualquer postura de retaliação com Pernambuco". O edital da obra será lançado assim que estiver refeito, provavelmente em maio e sem prejuízo à obra, que segundo Humberto "é importante para o Brasil e não so para Pernambuco". Ouça aqui a entrevista completa: Na tarde da terça-feira (25) o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) divulgou nota de esclarecimento em relação à licitação do Arco Metropolitano. O documento isenta o ministro dos transportes, César Borges, de qualquer responsabilidade quanto à interrupção da concorrência pública e diz que a suspensão temporária dos editais de licitação do Arco Metropolitano de Recife e da BR-116 na Bahia, decorreu de observações da área técnica do Tribunal de Contas da União ao órgão. Diante dos fatos apresentados pelo TCU, o Dnit resolveu suspender os editais. A nota ainda termina dizendo que a curtíssimo prazo estes mesmos editais serão reapresentados ao mercado para continuidade do processo licitatório. Trata-se de uma decisão puramente técnica de responsabilidade do Dnit, visando a menor perda de tempo possível para a continuidade dos processos, de modo a atender as necessidades regionais no mais curto prazo.

Mais Lidas