Podem ser indenizadas famílias das vítimas de soro contaminado em hospitais do Recife

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/03/2014 às 14:00
Leitura:
Da Redator soro-ne10 Foto: Reprodução do NE10/ Meramente Ilustrativa Após 17 anos, a justiça pernambucana concedeu aos pacientes e familiares de vítimas de soro contaminado indenização por danos morais e materiais. O caso ocorreu em 1997 em hospitais privados do Recife. O soro Ringer Lactato, produzido pela Endomed laboratórios farmacêuticos, estava com endotoxina bacteriana, e ocasionou acidente vascular cerebral nas pessoas que receberam o soro. Mais de 80 pessoas receberam o produto na época. Desse total, 37 morreram e quase 50 estão com sequelas irreversíveis. A sentença foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (26) e a justiça estabeleceu indenização no valor de R$ 150 mil por danos morais aos pacientes vivos e com sequelas e R$ 200 mil para as famílias dos pacientes que já morreram. Já a indenização por danos materiais chega a R$141 mil divididos entre os representantes dos pacientes que faleceram em decorrência do soro. Este processo diz respeito apenas às pessoas que sofreram as consequências da medicação no Hospital Santa Joana. Para o advogado das famílias, João Armando Menezes, com a correção monetária de 17 anos, as indenizações poderão superar os dez milhões de reais. A mãe de Sérgio Novaes foi uma das vítimas do soro contaminado. Ela foi submetida a uma cirurgia eletiva quando recebeu o soro. Ele se sente aliviado após a decisão da justiça. Como a decisão foi de primeira instância, tanto o hospital quanto o laboratório ainda podem recorrer da decisão da justiça. O repórter Erick França traz os detalhes:

Mais Lidas