No Recife, mais dois supermercados foram interditados por falta de higiene

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/05/2014 às 15:39
Leitura:
INTERDIÇÃO-interna Foto: Ísis Lima / Rádio  Jornal O supermercado Carrefour que fica na Rua José Bonifácio, no bairro da Torre, na Zona Norte do Recife, foi interditado na manhã desta quinta-feira (8) após fiscalização. Este estabelecimento foi autuado 42 dias depois de a blitz da saúde pública penalizar o Carrefour da Domingos Ferreira, em Boa Viagem. Participaram da operação a Vigilância Sanitária, Delegacia do Consumidor, Procon e Ministério Público de Pernambuco (MPPE). A fiscalização encontrou fezes de ratos e baratas, água acumulada na câmara fria, doces enlatados (pêssego e figo) com as latas enferrujadas. A gerente da Vigilância Sanitária, Adeilza Ferraz, acredita que o estabelecimento desliga os freezers durante a madrugada e que religa pela manhã, o que torna os produtos impróprios para o consumo. O Carrefour ficará interditado por, pelo menos, cinco dias até a regularização. Logo após penalizar o Carrefour da Torre, a operação conjunta interditou o Hiper Bompreço de Casa Forte na manhã desta quinta-feira (8). Segundo a Delegacia do Consumidor, a fiscalização encontrou produtos impróprios para consumo, alimentos em estado de putrefação, fezes e carcaças de roedores. Também participaram da ação a Vigilância Sanitária, Procon e Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O Hiper Bompreço teve os setores de hortifruti e frios e congelados autuados durante a fiscalização. A Vigilância Sanitária encontrou fezes de ratos nos fardos de charque. O Procon aplicará uma multa de até R$ 400 mil por conta das irregularidades encontradas. O estabelecimento também ficará fechado por cinco dias até regularizar. Em nota, o Carrefour informou que vai tomar todas as providências necessárias para reforçar os procedimentos de segurança alimentar que já fazem parte do padrão de qualidade da empresa. Já o Hiper Bompreço disse que está adotando medidas adequadas para solucionar os problemas apontados pelas autoridades. Desde o mês de março, já foram interditados cerca de 15 estabelecimentos. O repórter Handerley Souza traz mais informações:

Mais Lidas