Por causa de paralisação, PMs não participam de operação para prender suspeitos de crimes

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/05/2014 às 10:50
Leitura:
9d6f5546f56257c758581411f129e371 Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quarta-feira (14) a operação Lock Down, que investigou durante seis meses um grupo suspeito de tráfico de drogas, associação para o tráfico, envolvimento em homicídios, roubo e receptação, na cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife. Inicialmente os 150 policiais civis cumpririam 29 mandados de prisão, mas quatro suspeitos já estavam presos. Foram apreendidos também armas, drogas, como maconha e crack, e dinheiro. A quantia não foi informada. O delegado responsável pela operação Edilson Alves, gerente de controle operacional metropolitano, detalha como o grupo agia. Os 110 policiais militares que participariam da operação Lock Down não integraram à equipe da polícia civil. A atitude seria um reflexo da greve deflagrada na terça-feira (13). Delegado Edilson Alves, gerente de controle operacional metropolitano, afirmou que a ausência da PM não interferiu no êxito da operação. Algumas mulheres também foram presas na Operação. Depois dos procedimentos de averiguação, os envolvidos vão ser encaminhados para os estabelecimentos prisionais próprios. Mais informações com a repórter Ísis Lima:

Mais Lidas