"A postura do Governo de Pernambuco é manter a ordem", diz João Lyra Neto


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 15/05/2014 às 8:15
Leitura:
Da Rádio Jornal Nesta quinta-feira (15), o comunicador do programa Supermanhã da Rádio Jornal, Geraldo Freire conversou com o governador do Estado, João Lyra Neto, sobre as ações para a segurança durante greve da PM e Bombeiros. Durante entrevista que 15 durou minutos, o governador foi enfático ao dizer que a gestão está fazendo o possível para garantir a segurança do cidadão e que a ajuda do Governo Federal foi fundamental para isso. "A postura do Governo de Pernambuco é manter a ordem e nós vamos mantê-la com ajuda de Dilma, que nos atendeu de imediato", completa João Lyra. As tropas que estão chegando devem assumir a segurança em todo o Estado de Pernambuco. O governador falou ainda sobre a legalidade da greve, explicando que algumas pautas não podem ser cumprida, por se tratar de um ano eleitoral. "Apenas o vale refeição não pode ser negociado, pois a legislação eleitoral impede que se dê qualquer benefício em até 180 da eleição", afirma. "Eles tinham entendido isso e tínhamos um acordo. Eles estão descumprindo um acordo", completa. João Lyra ressaltou ainda que em nenhum momento o Governo de Pernambuco se negou a conversar com os líderes, afirmando ainda que parte deles não concordavam com a continuidade da greve: "a manutenção da greve é insensata", completou. O governador disse ainda que lamenta profundamente que "pseudo-líderes" estão desvirtuando as negociações. "Nós entramos na Justiça requerendo a ilegalidade desse movimento e foi aceito, inclusive com a taxação de uma multa de R$ 100 mil por dia, em caso de descumprimento", afirma. Ouça a entrevista na íntegra: O o secretário de Imprensa do Estado, Ivan Maurício, também conversou por telefone com Geraldo Freire. Ele afirmou que é importante ter cuidado com as informações divulgadas para não alarmar a população mais do que ela já está. Algumas coisas de fato são concretas, mas há muito boato e isso espalha o terror, diz ele. Ouça a entrevista na íntegra:

Mais Lidas