Entidades fazem pressão para punição das pessoas que realizaram saques no Grande Recife

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/05/2014 às 10:40
Leitura:
eletrodometicos-devolvidos-3666 Muitos produtos que foram devolvidos estão danificados Foto: Karoline Fernandes / JC News A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomercio) reuniu um farto material dos saques realizados em lojas do Grande Recife, durante a greve dos policiais militares nas últimas quarta (14) e quinta-feiras (15). São imagens das câmeras do circuito interno dos estabelecimentos invadidos por vândalos . O dossiê está em posse do procurador Geral de Justiça, Agnaldo Fenelon, que já agendou um encontro com o governador João Lyra Neto. O presidente da Fecomercio, Josias Albuquerque, também participa da audiência às 15h no Palácio do Campo das Princesas. A iniciativa tem como objetivo solicitar agilidade nas investigações da Polícia Civil já que o passo seguinte é a avaliação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O procurador-geral de Justiça explica que a população deve ajudar na identificação dos saqueadores e dos produtos levados. Agnaldo Fenelon afirma que, neste momento, não há o que negociar e os saqueadores têm que ser responsabilizados: Em Abreu e Lima, no Grande Recife, cidade que ficou famosa com imagens chocantes dos saques, policiais têm recebido produtos que foram roubados.O prédio localizado na Rua Mascarenhas de Morais, no Bairro do Timbó, está abarrotado de mercadorias. Um caminhão-baú está cheio de produtos devolvidos pela própria população e recuperados pela PM. A repórter Karoline Fernandes esteve em Abreu e Lima para ver a situação das lojas. Ouça as reportagens abaixo: Ao entregar o bem, seja ele qual for, a pessoa recebe um documento com a data para prestar esclarecimentos. Por conta da demanda, o delegado de Abreu e Lima, Alberes Félix, está solicitando reforço no efetivo a partir desta segunda-feira (19). O delegado explica ainda que, na lei, há um atenuante para os saqueadores que vêm por conta própria devolver as mercadorias. Em entrevista à JC News, o presidente da Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), de Abreu e Lima, Evandro Alves, disse que o prejuízo total ainda não foi contabilizado pelas lojas. E no domingo (15), às 9h, um ato vai reunir a população pedindo paz:

Mais Lidas